Blog

Como usar o Power BI?

Posted by:

Não há como fazer uma boa análise se tens dados ruins! Essa ideia deve permear todos os seus projetos, quando for trabalhar com Business Inteligence. De nada importa criar um lindo painel de indicadores com informações não fidedignas com a realidade.

Primeiramente entenda os dados que você irá utilizar como fonte para seus painéis, e faça uma análise previa, verificando se servirão para o bom desenvolver do trabalho.

Como fazer uma Análise dos dados previa?

Deveremos seguir alguns passos importantes, para conseguir fazer o trabalho fluir e não termos surpresas na hora de trabalhar com os dados:

  1. Verificar o local que os dados estão armazenados:

Os dados devem estar armazenados de maneira segura em um lugar confiável. Deve-se garantir que ao usar uma fonte de dados, ela não vá mudar ou ser apagada, esta deve estar protegida de alterações. Isso significa que se os dados estiverem em uma pasta de um determinado diretório, devemos garantir que sempre que precisarmos esses dados estarão acessíveis, no mesmo local.

  1. Compreensão dos dados

Não há como alisarmos dados, sem compreender do que se trata. Nessa instância temos que fazer uma análise minuciosa e entender realmente o que cada campo significa, verificar se existe a necessidade de transformar algum campo, analisar se será necessária a utilização de tabelas auxiliares ou criação de colunas calculadas e medidas DAX.

  1. Demonstrativo

Outro fator que irá influenciar no processo de Business Intelligent é a dimensão dos dados. Tens que primeiramente identificar se com as fontes de dados é possível que seja desenvolvida uma análise concisa dos dados. Devemos pensar da seguinte maneira, se tivermos dados de um único mês por exemplo, não teremos como comparar com outros meses e saber se foi um mês bom ou não comparado ao mês anterior, mas isso não significa que se tivermos os dados de 2 meses, podemos comparar diretamente um com o outro e ver qual foi o melhor. Existem muitas situações que podem mascarar essa análise, pode ser que nessa comparação de dois meses o mês que vendeu mais teve alguma vantagem desproporcional, garantindo uma elevação, mas não é algo que está na normalidade, por exemplo. Tudo isso deve ser levado em consideração. Será que esse mês que vendeu mais teve crescimento em relação ao mesmo período do ano anterior? E o mesmo mês dos outros anos? Essas perguntas devem ser analisadas e respondidas para garantirmos que nossa amostra é suficiente.

  1. Metas

Para iniciar um projeto de criação, você deve ao menos imaginar aonde que chegar, que tipo de indicadores que ter. Mesmo que ainda não saiba precisamente como o trabalho final será ao certo, você precisa definir um objetivo, podendo ser: “Meu painel precisa demonstrar se os vendedores estão vendendo o mínimo de cada produto”. Esse objetivo deve ser logico e a partir disso todo o dashboard irá ser baseado nessa premissa, obviamente podendo ter mais de um objetivo. Isso irá lhe dar o caminho para construir seus painéis, não é aconselhável juntar os dados ao mero acaso, pois poderá ter indicadores que servirão de mero enfeite.

            Processo B.I

Uma empresa que tem um processo B.I implementado, está na frente, pois ela conhece muito mais seus processos internos e consegue entender o cenário em que está trabalhando, e consegue também analisar as concorrente baseando-se na comparação de seu resultado com o dos outros, e então definir qual a melhor estratégia.

            O fluxo de elaboração de um painel de processo de Business Intelligence deve conter:

Primeiro, a coleta dos dados; definir as fontes de dados necessárias para o trabalho. Depois de passar por todas as etapas expostas acima, desde entender os dados e definir o objetivo, devemos começar a coletar os dados, ou seja, importá-los para nosso ambiente de trabalho de Business Inteligence, no nosso caso, utilizaremos o Porwer B.I como ferramenta;

 Posteriormente, analisar se esses dados necessitam ser organizados de alguma maneira, seja com tratamento de dados para “limpeza” de campos desnecessários, ou também transposição de dados para um formato onde é possível a utilização no nosso modelo de dados.

 Verificar ainda se temos os valores necessários para quantificar nossa análise, em muitos casos, são necessárias a criação de colunas calculadas ou então tabelas auxiliares para cruzar informações de tabelas distintas. Essa etapa de análise utilizaremos fórmulas DAX, que são conhecidas como medidas.

Após a importação dos dados, sua tratativa, análise e mensuração que poderemos iniciar o desenvolvimento da criação de um Dashboard para visualização dos dados e definição da maneira que será disponibilizado esse painel.             Por fim, com o painel pronto, podemos começar a visualizar e entender nossos dados. Assim então, o painel poderá servir de base para a tomada de decisões e planejamento de ações futuras.

Comentários
0

About the Author:

  Posts relacionados

Add a Comment